Blog

Os portugueses confinaram? O que dizem os dados mais recentes da Google e da Apple?

Os portugueses confinaram? O que dizem os dados mais recentes da Google e da Apple?

Os dados revelados pela Google sobre a mobilidade dos últimos dias da semana passada, quando era suposto os portugueses estarem já confinados, mostram que, apesar de uma quebra em relação à base, não houve diferenças significativas quando comparado com os dias anteriores. O mesmo revelam os dados da Apple. Ou seja, o confinamento, pelo menos neste arranque, não teve grande efeito.

O último relatório de mobilidade da Google já reflete dados da semana passada. Portugal está a viver um novo confinamento desde a última quinta-feira.

Nota-se uma ligeira variação no Retalho e Lazer, mas em todos os outros dados não há qualquer mudança de hábitos significativa e, em algumas situações, é até possível dizer que piorou.

No Retalho e Lazer, os dados da Google indicam uma quebra de 60 por cento em relação à base.

De notar, no entanto, que o valor o valor de referência (a base) é o valor da mediana para o dia da semana correspondente do período de 5 semanas entre 3 de janeiro e 6 de fevereiro de 2020.

Quando olhamos para o gráfico, é possível verificar que nesta última semana houve uma ligeira diminuição na mobilidade para estes espaços em relação ao que acontecia, por exemplo, no início de dezembro.

Os dois pontos mais baixos, que pode ver na imagem acima, dizem respeito ao Natal e passagem de ano, pelo que é normal essa quebra.

Quando olhamos para outras deslocações, o que se nota, para já, é que a mobilidade dos portugueses não foi muito reduzida, por vezes até aumentou.

No caso das Mercearias e Farmácias, mais pessoas deslocaram-se a estes locais. Uma explicação para isso pode ser o facto de os portugueses terem procurado reforçar os alimentos em casa e medicamentos.

A curva de mobilidade fornecida pela Apple, que mostra dados praticamente desde o início de 2020 até ao dia 18 deste mês, é também muito esclarecedora sobre o que aconteceu no país no último ano e o que está a acontecer agora.

A quebra em março e abril nas deslocações foi substancial. Mais de 80 por cento das pessoas andaram menos a pé e de carro do que em relação ao valor base.

Depois começou a subir e, durante o verão, chegou a estar 120 por cento acima do valor base.

Só em outubro, o número de deslocações de carro e a pé voltou a ficar abaixo da base. Mesmo assim, acima do que se verificou no primeiro confinamento.

Nestes últimos dias, olhando para o gráfico ao pormenor, verifica-se que os valores estão no mesmo nível dos registados em novembro e dezembro.

O que é possível dizer, olhando para este gráfico, é que apesar do aumento de casos e de mortes por Covid-19 no país - e apesar do confinamento mais apertado anunciado a semana passada -, a mobilidade dos portugueses nestes últimos dias não teve grandes variações.

Fonte: RTP


×